O resultado nunca
é o que uma ou a outra esperava. Nasce da soma 
um algo a mais.

Keka Kley queria voltar a desenhar - atividade que sempre fez por prazer, mas que foi deixada meio de lado na rotina. Déia Yamagishi queria escrever com as mãos, longe dos teclados e planilhas do trabalho no banco.

As vontades se encontraram numa noite de festa, quando as duas, já um pouco soltinhas, começaram a trocar uma ideia. Falaram sobre tudo: artes, hobbies e o tanto que ainda queriam falar. Uma com desenhos, a outra com lettering. Quis o destino que elas se encontrassem de novo - dessa vez, sóbrias, mas igualmente abertas. Foi aí que o Palavras Veladas tomou forma, saiu da cabeça e foi pro mundo.

O Palavras Veladas é assim: em cartões diferentes, a Déia faz o lettering de uma frase e a Keka faz um desenho. Sempre de forma livre e espontânea. Toda semana, elas trocam os cartões e voltam para casa com a missão divertida - mas não menos desafiadora - de completar a criação da outra. O resultado sempre vai além da intenção original: nasce do encontro da visão das duas, que somam suas próprias leituras.

Até agora, o trabalho já rendeu mais de 80 cartões, calendários, exposições e por aí vai. E quem sabe o que mais? As duas sabem que ainda têm muitas palavras e desenhos para tirar da cabeça.